Notícias

 

O osteopata Elcimar Reis, de 49 anos, foi um dos alunos da Expand Languages.Mais do que aventuras, seu foco quando fez seu primeiro intercâmbio era aprender o inglês e alavancar  sua vida profissional. E foi o que aconteceu: em 2001, viajou o para Bournemouth, na Inglaterra, um dos nossos principais destinos de intercâmbio. Lá aprendeu o inglês, recebeu assistência in loco do nosso consultor Tiziano Borgonovo e conseguiu até um estágio em um hospital local e voltou outras vezes na Terra da Rainha pela nossa agência.
Quer saber o que mudou na sua vida depois deste intercâmbio?Então confira a entrevista que a Expand Languages fez com ele e inspire-se também!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Expand:Como foi suas primeiras contatos e impressões com o atendimento da Expand Languages?

Elcimar: Desde a primeira vez que contactei o representante da Expand (Tiziano Borgonovo), já vi que se tratava de uma pessoa séria e preocupada com os detalhes e necessidades de minha viagem. A partir daí, não tive dúvida que estava fazendo a escolha certa. Tanto foi verdade que fui quatro vezes para Inglaterra para aprimorar o inglês, usando os serviços desta empresa.

 

Expand: Como aproveitou o seu tempo em todos estes intercâmbios?

Elcimar:  Em 2001, fiquei 45 dias na Inglaterra, sendo os 15 dias somente estudando inglês e nos outros 30 dias, fiquei estudando inglês e fazendo um estágio profissional. Sou fisioterapeuta Osteopata, fiz estágio no Nuffield Hospital na cidade Bournemouth. Foi espetacular poder associar o estudo da língua, com uma experiência profissional.As outras três viagens também foram para Inglaterra, mas com o objetivo de aperfeiçoar a língua inglesa. Fui em sequência, nos janeiros dos anos de 2012, 13 e 14, passando o mês inteiro por lá.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Expand: Além da parte profissional, quais pontos conheceu por lá?

Elcimar: Nos finais de semana, eu saia para explorar as regiões próximas e até mesmo cidades mais longe, pois o sistema de transporte de lá é muito estruturado, permitindo o deslocamento para qualquer lugar, com muita facilidade.Nas outras idas, de 2012, 2013 e 2014, além do estudo da língua, pude conhecer muito mais o Reino Unido, pois fui para Escócia, Irlanda e Pais de Gales, além de diversas cidades na própria Inglaterra. Fui assistir uma partida de futebol no lendário e aconchegante estádio do Chelsea (Stamford Bridge), em Londres. Além de várias visitas a esta encantadora cidade chamada Londres.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Expand:Como foi a recepção da Expand em seu destino de intercâmbio?

Elcimar: O representante local da Expand em Bournemouth, Tiziano Borgonovo, deu as boas-vindas, orientando e passando uma as informações que deveria ter sobre a cidade, o curso, acomodação, além de dicas dos melhores restaurantes, cinemas, pubs, etc.Isso é muito importante, pois ao chegar em uma cidade estranha e ter um auxílio desse, facilita muito a adaptação. E o mais importante: saber que se houver algum imprevisto, tenho uma pessoa a quem recorrer no local.
Expand: E quanto ao curso de inglês, como foi esta experiência?

Elcimar: Quanto ao curso, foi fantástico, todas as vezes fiz curso na BEET Language Centre. Se não me engano, uma das mais tradicionais da cidade, com estrutura e professores muito bons, com quadros interativos e aulas teórico-práticas. Isso fez diferença no aprendizado, pois tinha muitas aulas extras, a noite, com histórias diversas da culinária, família Real, músicas. Fiz viagens de final de semana, tipo excursão, com isso, a gente faz um intensivo sem muito estresse, pois fica leve e divertido. Eram poucos alunos em classe, aulas teórico-práticas, muitas vezes com brincadeiras e seminários. Sempre tinha algo para fazer em casa e o mais importante, os professores sempre foram alto-astral e assim, as aulas nunca eram “massantes”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Expand: A acomodação onde ficou, como era?

Elcimar: Como fui várias vezes, passei por várias casas de família. O mais interessante deste modelo, é que você pode realmente entrar na cultura do país, pois ao morar por um tempo em uma casa de família, você tem a real percepção do cotidiano e as diferenças mais marcantes, em relação a sua cultura. Assim,fiz diversos amigos, com os quais me comunico até hoje. Normalmente são pessoas muito amáveis e abertas às experiências culturais diferentes.Em nenhum momento tive problemas com qualquer pessoa, a qual me hospedou, durante todo este tempo que estive por lá, atenderam totalmente as minha expectativas e necessidades. Talvez o maior ganho de se ficar em uma casa de família é peloa inglês, pois como disse,  além de se mergulhar na cultura deles, você interage o tempo todo com os integrantes da família, o que ajuda muito no desenvolvimento e prática da língua.
Expand: Voltando ao Brasil, o que mudou?

Elcimar: Uma mudança muito grande, em se falando de prática da língua inglesa, pois você está se comunicando 24 hs por dia e isso lhe dá fluidez e segurança para se comunicar. Isso ficou visível, na vida pessoal e profissional aqui. Ssou da área da saúde, então, faço muitos cursos com estrangeiros, sempre em inglês, foi muito grande a diferença do pré e pós-Inglaterra. Nitidamente foi grande a evolução no falar, escrever e ouvir o inglês.